Vila Nova

Vice-presidente do Vila Nova confirma venda de Pablo Dyego, revela retorno de jogos ao OBA e cobra jogadores: “sinto falta do nosso DNA”

Confira!

Por: Matheus Carvalho 15/08/2022 15:35

Na manhã desta segunda-feira (15), o vice-presidente do Vila Nova, Leandro Bittar, participou do programa A Grande Jogada, da Feras do Esporte, na BandNews Goiânia. Assim, o executivo comentou sobre a situação do Colorado na Série B, além de falar do retorno ao OBA no próximo compromisso do clube. Ainda assim, de forma exclusiva, Bittar confirmou a venda de Pablo Dyego ao Avaí, que teve a sua multa rescisória paga por um empresário:

É claro que sempre temos esses atletas, que taticamente hoje, principalmente, em um Série B, são jogadores que os técnicos valorizam. Eu confesso que quando olho para os números do ataque, não só o Pablo Dyego, a gente fica decepcionado. Mas assim, acontece em outros clubes também, com esses jogadores com a características do Pablo de muita força, velocidade e eles acabam sendo bastantes utilizados, além de ajudar defensivamente. Ano passado tínhamos o Kevin nessa função, que o Higo utilizou bastante e a torcida questionava bastante a permanência dele. 

Às vezes quando se olha o jogador que participa mais do jogo e tem mais a bola, procura, tenta mais é lógico que ele erra mais. Até trazer a notícia em primeira mão, o Pablo acertou com o Avaí, que pagou a multa. A muito já havia buscando o atleta e, agora, a gente acabou finalizando, no sábado (13), essa negociação. O Vila recebe esse valor e perde um jogador de beirada, cujo todos os técnicos e comissão sempre entenderam que é uma peça importante para o nosso clube e elenco”, disse. 

Leandro Bittar fala sobre retorno ao OBA

Em seguida, Bittar afirmou o retorno do Vila Nova ao Estádio Onésio Brasileiro Alvarenga (OBA):

https://batershopp.com.br/

A gente vai retornar ao OBA . O Serra vai passar por um período que vai estar disponível para shows e tudo mais, então, retornamos ao nosso estádio. Tiramos, em algum momento, porque sentimos que poderíamos ser prejudicados ali dentro e estava chegando um ponto perigoso, que podíamos perder mando de campo. Nós sabemos da força que temos jogando lá, muitos jogadores gostam de jogar e sabem que o calor da torcida pode fazer esse diferencial e nos ajudar. Nós esperamos conseguir sair dessa situação todos juntos“, afirmou. 

Cobranças aos jogadores

Eu sinto falta do nosso DNA. Eu acho que os atletas precisam assumir a responsabilidade nesse momento com uma intensidade maior. A gente dentro de casa tem sido muito moroso, lento na transição. Parece que estamos ganhando o jogo, em muitas vezes a impressão que dá é essa. Então, roda a bola, o torcedor vai olhar para a defesa, que realmente esse ano falhou muito. Está todo tempo sofrendo com a bola atrás, nos pés e não tem opção para jogar. Os jogadores precisam entender isso e assumir para ajudar um ao outro dentro de campo. Não só o Matheuzinho, Donato, todos tem que está envolvido para sair da zona da degola”, cobrou o vice-presidente.

Vice-presidente comenta sobre protesto da torcida do Vila Nova

Eu acho natural. O nosso torcedor tem o direito de cobrar o time na situação que vem a tantos jogos oscilando e há muito tempo na zona de descenso. Eles tem feito de maneira respeitosa, pacífica, sem dano ao patrimônio e integridade de ninguém. Como eu falei, o torcedor tem o direito, principalmente, aqueles que vão a todos os jogos e acreditam. O clube fica, a entidade e, independente, do Leandro ou atletas e o torcedor não vai deixar de torcer para o Vila Nova, ele vai continuar sempre junto, seja na Série A ou Série C“, comentou Bittar. 

Bittar avalia competitividade e sequência de empates

O campeonato tem proporcionado situações a cada rodada, mas que a gente não vença e tropeçando, principalmente, em casa. Os concorrentes têm enfrentado dificuldades. Uma competição que na parte de baixo é muito equilibrada, acredito que tirando o G4 essas oscilações tem sido uma tônica. Eu acredito muito no potencial do nosso elenco para poder praticar um futebol melhor.  É isso que nós no dia a dia sempre procurando passar confiança, apoiando e cobrando também para termos um desempenho melhor.

Em casa precisamos ter uma pegada e um espírito diferente para que consigamos essa permanência. Acredito que outros precisam dar a cara a tapa, porque no marasmo não vamos conseguir. Se não houver uma mudança, fica difícil para os demais que estão tentando livrar o clube. O empate não vai nos tirar dessa situação. Nos últimos seis jogos, empatamos cinco. Eu acredito que sim, o empate para a gente vale quando vem seguido de vitória. Se ficar nessa somatória de empates isso não vai ser a solução e precisamos ser mais ousados nesse momento e assumir riscos, porque só assim vamos sair disso“, avaliou.  

1 Comentário

  1. Willian Fernandes disse:

    Bittar vc é um fanfarrão mesmo falar que perdeu um grande jogador isso é sinal o tanto que vc Hugo Frontini entende de futebol . Não sabe contratar jogador Tem dó , Pablo Diego , Ebere , Gean Silva, esses não tem condições de jogar nem amadorzão , sem falar no ex jogador Wagner , Ralf, Marlone, Colaço, bambu, Moacir, Rubens, matheuzinho, formiga, Daniel Amorim, Domas, Deivid, Alex Silva, Arthur Rezende, rafinha, etc sem falar nessas 7 últimas contratação de de série D e C que contratou agora nessa janela … Tem contratar
    jogador profissional de série B e A e um treinador de série B Vcs diretoria pega aula com Adson Batista pra vc aprender saber o que é profissionalismo.

Deixe o seu comentário!


NOTÍCIAS

podcast