Atlético-GO

Adson Batista cobra evolução ofensiva do Atlético-GO e analisa campanha no Goianão: “perdemos jogos bobos”

Na próxima fase, o Dragão vai enfrentar o Morrinhos

Por: Danyela Freitas 06/03/2022 20:37

Neste domingo (6), a fase de grupos do Campeonato Goiano se encerrou. Por sua vez, o Dragão visitou o CRAC. Depois do jogo, o presidente do Atlético-GO, Adson Batista comentou sobre o time rubro-negro, gramado do estádio de Catalão, campanha do clube e mais. Confira com as Feras do Esporte!

“Antes de mais nada, temos que mudar nosso poder ofensivo. Precisamos evoluir muito. Temos jogadores que entendemos que podem apresentar um melhor futebol, ter mais entrega, segurar mais a bola lá na frente. Quando o Baralhas entrou, a gente não teve nenhum problema, porque ele marca muito e dá tranquilidade para o Marlon Freitas jogar. Além disso, o Jorginho tem me agradado muito, tem jogado muito bem. Ainda assim, precisamos evoluir na nossa parte ofensiva. Assim, precisamos de muito mais para conseguirmos algo maior durante a temporada. Em resumo, o que temos apresentado ofensivamente é muito pouco.”

Gramado da Arena Rifértil, em Catalão

“A Federação Goiana de Futebol tem realmente que fazer um trabalho para exigir um gramado melhor de todos os clubes. No entanto, quero reconhecer que o Adib Elias [prefeito de Catalã] está tentando melhorar a estrutura. Catalão é uma cidade fantástica, muito bonita, parece aquelas cidades evoluídas do interior de São Paulo. Além disso, é uma referência no nosso Estado. Dessa forma, eu espero que possa resolver esse problema do gramado. De toda maneira, eu senti que eles estão tentando. Conversei com eles anteriormente e tenho certeza de que em breve este estádio terá condição de receber grandes jogos, porque é bem localizado, tradicional. Sendo assim, daqui a pouco esse problema momentâneo será resolvido. Além disso, tivemos um jogo difícil pela Copa do Brasil lá em Rondonópolis, com um gramado desse perfil. Quanto ao gramado de Catalão, a Federação Goiana de Futebol precisa atuar nisso. Irei conversar com presidente André Pitta sobre isso.”

Adson Batista cobra setor ofensivo, comenta boa atuação de Baralhas, analisa equipe atleticana e projeta confronto das quartas de final do Campeonato Goiano contra o Morrinhos 

“Pelo nosso poder de investimento, nesse momento, a gente tem que ter um nível técnico e ofensivo com maior qualidade. Eu acho que o Atlético tem jogado bem. Assim, a defesa tem estado bem, o Baralhas entrou e organizou a equipe no 2º tempo. No 1º tempo, a gente ficou exposto. O Baralhas neste momento tem dado a resposta. Em resumo, o nível do nosso campeonato melhorou, está mais técnico, mais competitivo, com jogos mais difíceis. Anteriormente, tinha uma superioridade muito grande dos times que tinham calendário durante toda a temporada e que possuía mais poder de investimento.

O Atlético-GO, nesta próxima fase, precisa jogar melhor ofensivamente falando. Precisamos ser mais agudos e adiantar um pouco nossa marcação. Não dá para jogar em linha baixa. Além disso, o Morrinhos passa por um momento bom no campeonato, momento de confiança, ganhou jogo fora de casa, rebaixou a Jataiense. Portanto, precisamos entender que, no futebol, primeiramente você nivela na vontade e, posteriormente, entra na qualidade. Assim, se você não nivela na vontade, você vai perder o jogo para qualquer time.”

https://batershopp.com.br/

Dragão preparado para a Série A? Adson Batista responde

“O time do Atlético ainda não está preparado para estrear na Série A do Brasileirão. Está longe ainda. Nós precisamos melhorar principalmente a questão ofensiva. Temos que apertar mais o adversário. A responsabilidade é nossa. Esse jogo contra o CRAC foi difícil. O CRAC marcou lutou, deu a vida. Nós precisamos de mais ofensivamente. Falando neste momento, essa é a minha principal preocupação.”

Presidente fala da estreia de Luis Phelipe e do trabalho de Umberto Louzer

“Este jogador foi negociado com o Red Bull da Áustria por valores astronômicos. Ele não se adaptou lá, mas tem potencial. Sendo assim, cabe a nós, um clube emergente como o Atlético, conseguir recuperar esse tipo de jogador. Então, estamos fazendo uma aposta. Em suma, a gente sabe que tecnicamente ele tem potencial. Se ele não conseguir fazer um bom ano no Atlético, ele vai cair em descrédito. O Luis Phelipe tem um grande desafio na vida dele. Contra o Catalão, ele entrou bem, mas precisamos de mais.

Ele fez algumas jogadas interessantes e, assim, em breve terá a oportunidade dele, mas nós precisamos de mais ofensivamente. Ofensivamente o Atlético está bem abaixo do que precisa. Contudo, tenho confiança de que iremos conseguir resolver esse problema. Somos um time emergente no Brasil, porém no Campeonato Goiano, nós precisamos nos impor e mostrar algo mais. Os jogadores precisam responder. O Umberto Louzer está fazendo um trabalho no dia a dia muito bom, um trabalho técnico e tático. Portanto, creio que a gente vai evoluir. E logicamente estamos atentos para melhorar e reforçar nossa equipe.”

Adson Batista explica os motivos do Goiás ter terminado mais bem posicionado que o Atlético-GO

“O Atlético, na classificação geral do Campeonato Goiano, ficou seis pontos abaixo do Goiás porque nós demoramos a nos encaixar e perdemos jogos bobos. Em contrapartida, o Goiás foi mais competente. No entanto, não adianta nada se daqui a pouco não ganhar o campeonato. Isso dá tranquilidade para eles e traz mais responsabilidades para nós, porém precisa ganhar o campeonato. Quem não ganhar o campeonato vai ficar no descrédito descrédito, vai ter um desgaste e vai trabalhar com desconfiança. Logo, cabe a nós trabalhar muito para conquistar o torneio.”

0 Comentários

Deixe o seu comentário!


NOTÍCIAS

podcast