Por: Bruno Daniel Comentarista e Colunista

Bolas, arbitragem, hospedagem, material esportivo: Quanto custa o Goianão pra FGF?

Goianão 2022 ganha parceiros importantes e FGF banca R$ 1 milhão de 600 mil no Estadual

Publicado em: 28/01/2022 14:11

Começou o Goianão 2022, desde 2007, quando cada time “ganhou” um jogador da Federação Goiana de Futebol eu não via o Estadual começar tão agitado e com tanta motivação, o bom momento de Atlético-GO e Goiás, o bom trabalho feito pelo Vila Nova na transição da temporada quanto a montagem e manutenção do elenco, o bom time da campeã brasileira Aparecidense e a movimentação das equipes do interior proporcionam isso.

Transformar uma pedra bruta em jóia preciosa não é fácil, transformar um bom produto em dinheiro também não, somar esses fatores e fazer um bom campeonato também não deve ser.

A Federação tem se organizado a cada ano e nessa temporada agregou novos parceiros, como Vedacil e 1XBET, que inclusive dá nome ao Campeonato, além de parceiros importantes como Arroz Cristal e Ferracini, que já são de longa data.

Mas quanto custa organizar o Campeonato Goiano? Quanto a Federação gasta pra fazer essa engenharia funcionar? Eu procurei saber:

Além de um carro zero quilômetro, que será entregue ao campeão, a FGF não cobra nenhuma taxa de inscrição de jogadores, no mais sete times recebem da Federação todo o material esportivo de jogo, treino e viagens, a FGF compra o material, os outros cinco não recebem porque abriram mão, já tem parcerias próprias; a federação paga todas as despesas de hospedagem e alimentação nas viagens de todos os clubes, e também paga todas as taxas de arbitragem nos 74 jogos do Estadual.

EURODIESEL NOTICIA

Além de disponibilizar um total de 140 bolas para treinos, que foram entregues diretamente aos clubes e mais 260 bolas que são disponibilizadas exclusivamente para os jogos do Goianão.

Custo de uma bola oficial do Campeonato Goiano 2022

O custo total de toda essa operação gira em torno de um milhão e seiscentos mil reais (R$ 1,6 milhão), isso só pra primeira divisão, ainda tem os campeonatos de base, segunda e terceira divisão profissionais e campeonatos femininos.

O apoio da Federação e a transmissão inédita com imagens de todos os jogos foi fundamental para que nesse ano, não tivéssemos times querendo desistir de participar. E eu concordo que mais importante que premiar vice-campeão, artilheiro, dar dinheiro ou criar outros prêmios é dar estrutura e fazer o campeonato acontecer com qualidade, ao meu ver seria pior distribuir esses recursos para os clubes e não agir dentro das necessidades de cada um.

E a Federação, trabalha ou não trabalha?



https://batershopp.com.br/

NOTÍCIAS

podcast