Atlético-GO

Após vitória do Atlético-GO, Eduardo Souza fala sobre substituições feitas no jogo e Adson Batista fica na bronca com arbitragem; confira detalhes

O dirigente do Atlético-GO reclamou de arbitragem ‘anti-jogo’ e afirmou que não irá permitir que o clube seja prejudicado

Por: Bruna Alves 05/10/2022 23:27

O Atlético-GO venceu o Fluminense por 3 a 2 nesta quarta-feira (5), no Estádio Antônio Accioly. Após a vitória, o auxiliar técnico Eduardo Souza e o presidente do clube, Adson Batista, deram entrevista. Confira detalhes com as Feras do Esporte!

Auxiliar técnico do Atlético-GO fala sobre Jorginho e Marlon Freitas

Eduardo Souza iniciou a entrevista dedicando a vitória para os meninos do CT do Dragão. Em seguida, relembrou os jogos anteriores, como contra o Corinthians e o Avaí. De acordo com o treinador, a confiança e esperança dos jogadores vem desde o jogo contra o Timão, onde fizeram boa partida. O jogo contra o Fluminense foi denominado como jogo da esperança, pois com a vitória de virada, as chances de escapar do rebaixamento aumentam.

O treinador deu detalhes sobre as conversas com os jogadores no intervalo do jogo, ressaltando a força de vontade e impulsionando o time a não desistir da vitória. Sobre duas das cinco substituições no jogo, Eduardo falou sobre voltar a utilizar Jorginho e Marlon Freitas em campo, que estavam há alguns jogos no banco de reservas. O treinador ressaltou o desempenho dos jogadores em treino e que através deles decide as substituições.

“Quanto ao Marlon e o Jorginho, depois do jogo que nós fizemos o treino em São Paulo, eu falei pros que estavam no treino. Eu falei cara o campo vai mostrar, é dia-a-dia de treino, a hora que tiver uma oportunidade de jogar aqui todos iguais… O Marlon tem mais de 150 jogos no Atlético e ele não entrou no jogo e ele ajudou muito fora do campo, porque é um jogador que tem uma leitura muito grande. Então ele nos ajudou, o Jorginho ajudou e hoje pôde entrar”, completou Eduardo Souza.

Adson Batista reclama de ‘anti-jogo’ da arbitragem

O dirigente do clube, Adson Batista, se mostrou grato pela vitória da equipe. Em seguida comentou sobre as dificuldades que o time já passou e vem passando, mas ressaltou que o Atlético-GO permanece vivo na competição. Adson falou sobre a vitória de virada inédita da equipe, e que isso, dá muita confiança aos jogadores e diretoria.

Por outro lado, mesmo com a vitória, o presidente do clube se mostrou insatisfeito com a arbitragem brasileira.

“É um absurdo o Daronco ficar picotando o jogo, faltinha só pro Fluminense, né? E apitando o jogo com conveniência e é um grande árbitro! Com conveniência a CBF, ela tem que tomar atitude, se eu perdesse o jogo eu ia ficar quieto porque é choro de perdedor, mas nós ganhamos o jogo. É vergonhoso! Hoje a arbitragem brasileira, ela pensa dez mil vezes e caça mil situações pra ajudar os grandes clubes… Não pode permitir o anti-jogo!”

Logo após, Adson ressaltou a fala de Eduardo Souza sobre os treinos decidirem a posição e participação dos jogadores dentro de campo. O dirigente elogiou a postura de Marlon Freitas após o final do jogo e afirmou que o jogador nunca deixou de ser um cara sério, mesmo após assinar pré-contrato com o Botafogo.

Ao final da entrevista, o dirigente agradeceu aos torcedores do Dragão que apoiaram e empurraram o time na partida contra o Fluminense. E ao concluir, reafirmou que não irá aceitar que o Atlético-GO seja prejudicado por ‘arbitragens tendênciosas’ e que gosta de transparência no futebol.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!


NOTÍCIAS

podcast