Goiás

André Pitta conta cobrança na CBF: “Não adianta ir lá bater papinho, tratar com todo respeito” e relação com o Goiás

A derrota do Goiás para o Náutico com graves erros de arbitragem causou um longo atrito entre a Federação Goiana de Futebol e o Goiás após entrevista exclusiva de Edminho Pinheiro para as Feras do Esporte.

Por: Ana Lívia Luis Dias 06/10/2021 15:00

Escutamos hoje (05) o Presidente da Federação Goiana de Futebol, André Pitta que falou sobre as longas reclamações de Edminho, alegando falta de apoio da FGF:

“A gente não concorda muito quando se credita para a Federação, o Goiás sabe que estamos juntos, tentando ajustar tabela, ter um melhor andamento nós trabalhos em relação aos jogos do Goiás, tive com a CBF, Comissão de Arbitragem, liguei para o Gaciba com o Edminho, mostramos nossa preocupação, mas não podemos negar que a arbitragem brasileira vai sofrendo problemas rodada após rodada, um dia com o Goiás, um dia com o Vila, com o Atlético e problemas graves”.

Ricardo Marques Ribeiro

O árbitro da partida foi Ricardo Marques Ribeiro, André Pitta foi efusivo contra Ricardo e contou as medidas que a Federação vai protocolar contra Ricardo:

“Nós vimos um árbitro que deixou de ser FIFA, que talvez perdeu o momento de parar, completamente sem condições. Visualmente você ver que a condição física está longe de um árbitro para poder fazer uma boa partida em uma competição importante como é a Série A e Série B. Diante disso, nós não somos de fazer isso, mas vamos pedir à CBF que não escale o Ricardo (árbitro) não só nos jogos dos goianos, mas em jogo nenhum”.

André Pitta ainda revelou uma conversa com o Chefe de Arbitragem da CBF, Gaciba: “Tive uma conversa dura com o Gaciba ontem, não adianta ir lá bater papinho, tratar com todo respeito e toda hora ter problemas. Nós temos que ter atitudes”.

Bastidores

Uma das grandes reclamações é um suposto benefício para Vasco e Botafogo que disputam o acesso, André Pitta não acredita em complô para para prejudicar qualquer equipe:

“Acho que existe bastidor no futebol, existe bastidor no que, igual nós fizemos: ‘olha essa data aqui, o Goiás tem uma viagem para Londrina, uma viagem difícil, então nós precisamos mexer, precisamos ter cuidado porque em tal lugar o torcedor está se excedendo’, não consigo acreditar que no mundo de hoje, onde todo mundo grava todo mundo, no telefone nós ouvimos falar em escutas, que alguém tem coragem de criar um complô e falar para um árbitro, ‘olha, você precisa prejudicar lá’, eu acho que esse tipo de ação, tinham que estar ajudando o Cruzeiro”. Por fim, André completou: “Se a gente for acreditar que sacaneia um, empurra ali, o futebol tem que acabar, se esse tipo de coisa estivesse sendo feito, alguém tem que vazar”.

Goiás e Federação

Edminho em sua entrevista para as Feras do Esporte declarou que não procura mais a Federação, mesmo com isso, o Presidente da FGF declara continuar ajudando o Goiás:

“Os erros de arbitragem estão acontecendo para todo lado, do mesmo jeito que tem erros para alguns e para outros. A gente respeita a decisão do Edminho em não querer falar com a Federação, mas internamente algumas pessoas do Goiás sabem que nós estamos tentando ajudar. Mas existem erros mesmo a gente tentado, batalhando, existe erros, não é porque talvez ele decida não tratar com a Federação, que não não vamos lutar pelo Goiás”.

https://batershopp.com.br/

VAR sem funcionar

Uma informação que trouxemos com exclusividade no intervalo de Náutico x Goiás foi que o VAR não funcionou por boa parte do primeiro tempo, Pitta explicou a questão:

“Eu tomei conhecimento porque quando eu vi a bola sai na lateral logo após o lance do pênalti não teve atitude de checagem, ele manda bater. Eu achei isso muito estranho e questionei a Comissão de Arbitragem da CBF, eles ficaram de verificar e me informar. No intervalo da partida o Harlei me ligou e falou que os jogadores falaram que o Ricardo comunicou que o VAR tinha dado um problema técnico até uns 30 minutos do primeiro tempo. Eu voltei a checar isso com a CBF e hoje me passaram a informação que realmente teve um problema técnico aos 4 minutos do primeiro tempo, que informaram os capitães, isso foi confirmado pelo Goiás, avisou também os bancos e quando voltou, ele contou que voltou a funcionar”.

E também falou sobre as equipes terem conhecimento do fato: “Nossa primeira preocupação é que não tivesse ficado claro que o VAR não estava funcionando, mas foram comunicados e temos como provar. Antes de começar a dar problemas, as equipes foram comunicadas, os dois lados. Menos ruim, apesar de ser péssimo”.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!


NOTÍCIAS

podcast