Atlético-GO

Adson Batista mira vaga na Sul-Americana e fala se Marcelo Cabo continua à frente do Atlético-GO

Confira a entrevista com o presidente atleticano!

Por: Danyela Freitas 03/12/2021 23:35

Em primeiro lugar, na noite desta sexta-feira (3), o Atlético-GO superou a Chapecoense por 1 x 0 e, assim, garantiu a permanência na Série A do Brasileirão. A partir disso, após o jogo na Arena Condá, Adson Batista, presidente do Dragão, conversou com o repórter Arthur Magalhães, das Feras do Esporte.

Adson Batista faz analisa partida

“Primeiramente, foi um jogo sofrível, muito ruim tecnicamente. Não sei se é porque nosso time sentiu a carga de jogos, mas, para uma equipe que precisava ganhar, responsabilidade só nossa, com a Chapecoense rebaixada, o espírito não estava bom. O planejamento para 2022 do Atlético começou. Eu fiz de tudo. Não tenho nem coragem de dizer o prêmio que ofereci para os jogadores. É coisa absurda, fora da realidade. Realmente, fizemos um jogo morno, muito abaixo tecnicamente. Além disso, eu esperava uma intensidade maior. Se jogarmos assim contra o Internacional, a gente leva um sacode. No entanto, vamos trabalhar, vamos nos cobrar para fazer um jogo melhor. Ainda assim, estou leve e feliz. O Atlético permanece na Série A. Aquele gol do Arthur Henrique foi a mão de Deus, nos minutos finais. O jogo teve um nível técnico muito ruim. Sendo assim, quem fizesse o gol ficaria com a vitória.”

Atlético em 2022

“O planejamento do Atlético para o próximo ano começou. Portanto, buscaremos alternativas [quanto a jogadores]. Precisamos de um time que segure mais a bola na frente e que tenha mais intensidade ofensiva. Vou ter que contratar, planejar. Alguns jogadores não ficarão, muita gente vai sair. Temos menos de um mês para apresentar uma equipe. Essa permanência na Série A vale R$ 50 milhões. Agora, ainda para 2021, é tentar chegar à Copa Sul-Americana. Porém temos que jogar muito, porque, na sequência, vamos enfrentar dois megacampeōes brasileiros [Internacional e Flamengo].”

EURODIESEL NOTICIA

Torcida no duelo contra o Flamengo em Goiânia e possível sócio-torcedor

“Quero valorizar quem foi sempre ao Accioly, nosso torcedor que sempre está na arquibancada. Acima de tudo, tenho que respeitar o torcedor do Atlético. Outra coisa para refletir é quanto ao sócio-torcedor. Vejo o Goiás, o Vila Nova e muitos outros times brasileiros capengando com isso. Em suma, sócio-torcedor só funciona quando a equipe está na ponta da tabela. Logo, o torcedor só paga se o time estiver bem. Temos que avaliar isso. Tenho falado com o Jovair para criarmos um ‘carnê’ para um ano, como um sócio-torcedor diferente. Se o torcedor comprar, será privilegiado. Sempre pensando no torcedor atleticano.”

Marcelo Cabo permanece? Adson Batista responde

“Vai depender dele. Muitas vezes o Marcelo tomou a decisão errada. Além disso, vai depender dele atingir metas e objetivos. Gosto dele como pessoa. Ainda assim, ele precisa crescer em algumas coisas, sem zona de conforto. Reconheço que ele tem uma boa história no Atlético, mas vamos estar atentos, porque tudo no futebol é o ‘hoje’, e não o ‘ontem’. Portanto, você faz o ‘hoje’ para poder construir o futuro. Precisamos produzir muito e, ademais, dar mais opções de jogadores para o treinador, porque técnico não faz milagre.”

0 Comentários

Deixe o seu comentário!


NOTÍCIAS

podcast